Home 2018-04-18T14:07:21+00:00
25 de Abril, sempre!

Umha palestra, música ao vivo, umha exposición, dous filmes e umha foliada polas ruas para celebrar a Revoluçom de Abril e os seus valores!

25 de Abril, sempre!

«a Galiza nom fica
no Minho»

O Zeca Afonso teceu umha forte relaçom com a Galiza. Nom só nos seus concertos no nosso país e nas inúmeras amizades que cultivou, como também na comprensom do facto popular e nacional da Galiza. Foi ele quem disse para os seus compatriotas «a Galiza nom fica no Minho!»

o Zeca na Galiza

a Associaçom

os Eventos

«A Galiza é para mim umha espécie de Pátria espiritual. Foi umha experiência maravilhosa. Algo especial.

Talvez ninguém me entendesse como na Galiza»

Acompanha-nos
nas Redes

Twitter

Facebook

2 meses atrás

AJA Galiza

No dia de hoje, 23 de Fevereiro, adicionamos mais um aos anos que passárom desde que José Afonso nos deixou, em 1987, após luitar contra umha esclerose lateral amiotrófica (ELA), umha doença que continua hoje sem cura. Porém, para nós, na AJA Galiza, é tempo de lembrar o homem que insistiu nom ser tristeza através da sua trajectória e dos seus valores. Fazemo-lo hoje resgatando umha produçom do Canal Cascais sobre a história do Zeca e do Grândola — a cançom que o liga definitivamente à Galiza.Zeca Afonso passou pela Estudantina de S. Domingos de Rana antes do 25 de abril. Atraves de testemunhos de Arnaldo Trindade, Jose Jorge Letria, Jose Manuel T... ... Ver maisVer menos

Ver no Facebook

2 meses atrás

AJA Galiza

Começa a 4ª ediçom da semana cultural das Convergências Portugal-Galiza coa que colabora a Associação José Afonso e que desenvolverá atividades culturais na ideia de unir as duas beiras do Minho. Abrira-se este domingo 18 de fevereiro no Auditório da Casa de Rosalía, em Padrom, as 12h30 com um concerto de Canto D'aqui e Iria Estévez. Apareçam! ... Ver maisVer menos

Ver no Facebook
José Afonso sentíase identificado con Galiza e mantiña un interese polo noso idioma e a nosa cultura, aspectos que teimou en defender publicamente. E, asemade, declaraba a necesidade dun intercambio cultural, permanente, entre a Galiza e Portugal.
Xico de Carinho, Músico, directivo da Associação José Afonso em Portugal, organizador e participante musical de várias giras do Zeca pela Galiza.
O Zeca Afonso fai bater no peito o ritmo da liberdade.
Manolo Bacalhau, Músico
José Afonso, o Zeca de óculos grandes e ar distraído, soube deixar-nos um legado: é possível acreditar que as palavras e a música podem ser arte a nunca esquecer. Mas deixou-nos outro legado: o seu exemplo de cidadania prova-nos, ainda hoje, que é possível sonhar com um novo mundo… sem “muros nem ameias”! Por tudo isso o Zeca continuará a andar sempre por aqui!
Paulo Esperança, Vice-Presidente da Direcção da Associação José Afonso
José Afonso fez com que várias gerações de portugueses se identificassem e decoram-se as suas canções e, por sua vez, as integrassem naquela que é a tradição cultural portuguesa. Mas, Zeca, conseguiu mais do que isso. Conseguiu, com a Galiza, completar o último vértice do seu triângulo mágico África – Portugal, influenciando músicos, poetas e escritores que, até hoje, nele se inspiram.
Carla Sofia Amado, Responsável do Camões - Centro Cultural Português em Vigo

Algúns bares poñen o Grândola cando queren pechar pero raras veces o conseguen: o Grândola non é unha canción de pechar senón de abrir.

Maria do Cebreiro, Poeta, ensaísta e professora de Teoria da Literatura na USC