25 de Abril
comemorado na Galiza
da mao da AJA

Sob o lema «Galiza com o 25 de Abril, sempre!» o programa da AJA-Galiza incluiu o passe de dous filmes, umha palestra com protagonistas daqueles dias, umha exposiçom de cartazes comemorativos e muita música.

A Galiza celebrou, mais um ano, o 25 de Abril e os seus valores. Como em aniversários anteriores, foram diversas as organizaçons a proporem actividades à volta dos valores revolucionários e democráticos que há quarenta e quatro anos, em 1974, terminavam com a ditadura salazarista e abriam passo a um processo político carregado de esperança. Umha das novidades, neste ano, foi a incorporaçom da recém-nascida AJA Galiza a esse conjunto de colectivos. Sob o lema «Galiza com o 25 de Abril, sempre!» e em colaboraçom com as câmaras municipais de Compostela e Rianjo, o núcleo galego da Associaçom José Afonso preparou um programa que incluiu o passe de dous filmes, umha palestra com protagonistas daqueles dias, umha exposiçom de cartazes comemorativos e muita música.

As actividades começaram o dia 23 no local da associaçom vicinal Francisco Asorei do bairro da Almáciga (Compostela), com a exibiçom da curta-metragem de animaçom «O cravo da liberdade», de Andreia Marques (1996) e do documentário «Bom povo português» — um clássico de Rui Simões produzido em 1981 e que se centra em explicar, sem renunciar à expressom artística, os acontecimentos do processo político inagurado em Abril de 1974.

[Clica na imagem para alargar]

No dia seguinte, 24, as actividades continuaram na Faculdade de Geografia e História da USC da mao de Margarita Ledo e Camilo Mortágua. Margarita Ledo, professora e realizadora cinematográfica que estivera exilada em Portugal precisamente naquela altura, explicou o trabalho das organizaçons galegas clandestinas que operavam acavalo entre a Galiza e Portugal para tombar o regime franquista. Pola sua vez, Camilo Mortágua, histórico militante da esquerda portuguesa, que tinha feito parte do DRIL na famosa açom do Santa Liberdade e que depois foi membro de LUAR, participando em várias açons que permitiram financiar a posterior Revoluçom, realizou um repasso polas vivências daquele período e tratou de explicar os motivos que impulsam as pessoas a se envolverem em acontecimentos maiores do que si mesmas — neste caso, a chamada Revoluçom dos Cravos.

[Clica na imagem para alargar]

O próprio dia do aniversário, 25, a AJA Galiza celebrou duas actividades. À tarde, a historiadora da arte e comissária Alba R. Silgo inaugurou em Rianjo a exposiçom com umha vintena de cartazes comemorativos daquela data — vários dos quais originais da época confiados à própria Associaçom para a sua custódia. À noite, de maos dadas com o grupo de música tradicional Os Enxebres de S. Lázaro, celebrou-se uma foliada e cantar colectivo polas ruas de Compostela da cançom que se iria converter na mais famosa da Revoluçom: o Grândola, vila morena de José Afonso. A açom, que já se tinha celebrado em anos anteriores mas que nesta ocasiom foi integrada na programaçom da AJA saiu da Praça do Pam e decorreu pola praça do Obradoiro, a praça das Pratarias e a rua do Vilar, terminando na Praça do Toral, onde o Grândola deu passo a outras cançons e bailes.

[Clica na imagem para alargar]

A música ainda continuou o sábado 28, com o concerto que a AJA tinha preparado para ser feito ao ar livre na própria Praça do Pam, e que finalmente acabou por ser trasladado para o Centro Socio-Cultural de Fontinhas por causa da meteorologia. O concerto «Abril Sempre» trouxo a Compostela o trio composto por José Manuel Ésse, Pedro Branco — filho do histórico cantor de intervençom José Mário Branco — e Artur Quaresma, e o duo formado por Manuel Teixeira e António Rosa. Um concerto em que foram repassados temas do Zeca Afonso e doutros cantores portugueses da altura, como Adriano Correia de Oliveira ou Fausto Bordalo, e que terminou com a imortal Grândola.

3 semanas atrás

AJA Galiza

5 e 6 de outubro comemoraremos em #Compostela o 85 aniversário do IX Congresso de Nacionalidades Europeias.

Na sexta-feira, 5 de outubro, às 20.15, decorrerá no Vide Vide umha palestra sob a legenda "O Galeuzka e o IX Congresso de Nacionalidades Europeias" ministrada polo historiador e membro do Instituto Galego de História Xosé Ramón Pousa Estévez.

Sábado 6 às 11.30h no Salom Nobre de Fonseca (no Pazo de Fonseca decorrerá um ato politico com Pep Cruanyes, vicepresidente da Assemblea Nacional Catalana, Unai Lizaso, da Secretaria Nacional de Gure Esku Dago-Hernani e María Xosé Bravo, da Porta-vozia da Via Galega VG
... Ver maisVer menos

Ver no Facebook

3 meses atrás

AJA Galiza

Neste #DiaDaPátriaGalega, a AJA inaugura a sua participaçom com a presença no Festigal, onde teremos uma banca com materiais sobre José Afonso e a sua relaçom com a Galiza. Nom deixes de vir conhecer-nos! ... Ver maisVer menos

Ver no Facebook
2018-05-04T03:47:15+00:00